«Creio para compreender e compreendo para crer melhor» (Santo Agostinho, Sermão 43, 7, 9) (Santo Agostinho, Sermão 43, 7, 9)

27
Fev 10
Defensores da vida afirmam que não pararão até que a nova lei do aborto seja revogada

O Centro Jurídico Tomás Moro anunciou que em dez dias teria um relatório completo preparado sobre a nova lei do aborto, que servirá para fundamentar "os eventuais recursos ante o Tribunal Constitucional e ante o Tribunal Europeu de Direitos Humanos" e obter a derrogação desta norma.

"O povo espanhol não se resignará a que a história o julgue igual ao povo alemão que permitiu o genocídio nazi: nós não calaremos, e nossa voz seguir-se-á escutando sem considerar as ameaças, e sem temor às consequências", afirmou o centro jurídico.
Indicou que o relatório que prepara "ficará à disposição de todos os grupos" que defendem os não nascidos. Desta maneira, a organização uniu-se a outros grupos pró-vida contrários à aprovação definitiva por parte do Senado da nova lei do aborto.

Por sua parte, o presidente do Foro Espanhol da Família, Benigno Blanco, também criticou os parlamentares por terem aprovado uma lei que vai contra "o sentir maioritário da sociedade espanhola", que pede proteger o não nascido e ajudar as mulheres grávidas.

A norma, advertiu, "fica ao lado dos interesses das clínicas abortistas e para ajudar o seu negócio estabelece o aborto livre na prática até a semana 22 da gravidez e dá cobertura legal ao aborto por razões eugénicas e eutanásicas sem limite de prazo algum".

Do mesmo modo, a Federação Espanhola de Associações Pró-vida afirmou que "longe de nos desanimarmos", a actual situação "nos urge a actuar com mais força, carinho e dedicação pelos não nascidos e suas mães e por tantas pessoas que precisam curar-se das feridas do aborto".

"Esta luta não foi inútil e estamos seguros que muitos mais se unirão à defesa da vida humana e sua dignidade, porque há muita gente boa em nossa querida e maltratada Espanha", expressou.

Por outro lado, o Centro Jurídico Tomás Moro indicou que também preparará "protocolos específicos contra a chamada violência de género na mulher grávida", porque a aprovação desta lei, além de trazer mais assassinatos de não nascidos, ocasionará uma maior violência contra a mulher.

"Os dados estatísticos demonstram que a mulher grávida é extremamente vulnerável a qualquer tipo de violência, seja ela física ou psíquica. Neste sentido, a experiência leva a afirmar que um número significativo de mulheres que abortam o fazem pela violência exercida pelos seus conjugues, e sua decisão fundamenta-se no temor das represálias", advertiu.

(Fonte:’Acidigital’ com edição de JPR)
publicado por spedeus às 00:06

«Dá "toda" a glória a Deus. - "Espreme" com a tua vontade, ajudado pela graça, cada uma das tuas acções, para que nelas não fique nada que cheire a humana soberba, a complacência do teu "eu".» São Josemaría Escrivá – Caminho, 784 O ‘Spe Deus’ tem evidentemente um autor que normalmente assina JPR e que caso se justifique poderá assinar com o seu nome próprio, mas como o verdadeiramente importante é Deus na sua forma Trinitária, a Virgem Santíssima, a Igreja Católica e os seus ensinamentos, optou-se pela discrição.
NUNC COEPI - Blogue sugerido para questões de formação, doutrina, reflexões e comportamento humano
http://amexiaalves-nunccoepi.blogspot.com/
subscrever feeds
links
pesquisar neste blog
 
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

3 seguidores

blogs SAPO