«Creio para compreender e compreendo para crer melhor» (Santo Agostinho, Sermão 43, 7, 9) (Santo Agostinho, Sermão 43, 7, 9)

07
Mai 08
A revelação é reduzida a um despertar da consciência, a uma iluminação interior por essa centelha divina, que é cósmica e que está dentro de cada um e não uma palavra que vem de fora, que vem do alto. O objectivo dessa espiritualidade é tornar a pessoa realizada, que se exprime em palavras: paz, harmonia, serenidade, sentir-se bem consigo mesmo, com o seu corpo, com os outros, com a natureza. Trata-se sobretudo da busca de um bem-estar físico e mental, através de métodos que vai buscar às religiões orientais, aos esoterismos, às doutrinas ocultas, à nova física, concretamente à física quântica, das ondas, das energias, das vibrações próprias da matéria, à medicina global e à medicina alternativa, às diversas terapias de grupo. Traduz o desejo de uma espiritualidade, de algo que toque o coração, que toque o interior da pessoa, de um método que seja capaz de conferir sentido a uma vida e a um mundo caótico e confuso. Trata-se da busca de algo mais humano, mais belo na relação com a vida estressante e opressora da nossa sociedade».


(Excerto Conferência proferida nas Jornadas Nacionais de Catequistas, Fátima, 15-XI-2003 - Fonte: “Pastoral Catequética”, nº 1, Jan-Abril 2005 – D. António Marto, ao tempo Bispo de Viseu, hoje Bispo de Leiria-Fátima)
publicado por spedeus às 23:09

http://www.torreciudad.org/
publicado por spedeus às 23:06

publicado por spedeus às 19:30

publicado por spedeus às 13:50

06
Mai 08
Estejamos em alerta permanente para as inúmeras tentativas de que somos alvos diariamente, sobretudo na comunicação social, não que devamos ser permanentemente desconfiados, mas não sejamos ingénuos e tentemos reflectir sobre a informação que nos transmitem; um simples alinhamento de notícias na TV ou um aparente anúncio bem realizado pode ter objectivos camuflados.
Lá diz o ditado de grande sapiência popular “nem tudo o que parece é”.
Verdade com segurança, só a encontramos Nele e nas Sagradas Escrituras, que provêm do Seu Espírito.

(JPR)
publicado por spedeus às 23:04

«Iluminação interior e não a conversão ao Deus pessoal é o núcleo desta nova espiritualidade e desta experiência mistíco-gnóstica. Esta iluminação pretende ser o conhecimento total do Homem e por isso julga-se superior à razão e à própria fé. É uma mística que se vive mais ao nível do coração e da afectividade do que ao nível da cabeça e da razão. E até se apoderou da figura de Jesus, considerado apenas como um mais um guru, isto é, um mestre de sabedoria e de espiritualidade, mestre capaz de despertar a profundidade interior do eu, mas por causa da sua forte personalidade carismática e não por ser Filho de Deus, feito Homem. Por conseguinte, este Cristo da "New Age", não pode ser o salvador, porque a salvação vem unicamente do nível do conhecimento do meu eu, e da libertação que alcançar por mim mesmo. Por conseguinte, trata-se de uma auto-salvação ou auto-redenção. A conversão é reduzida apenas a uma introspecção. É interessante porque usam o nosso vocabulário: noção de interioridade, de espiritualidade, de mística, de conversão, num significado completamente diferente do sentido cristão. Portanto a conversão, para esta nova religiosidade, é reduzida a uma introspecção, ao olhar para dentro de si mesmo.

(Excerto Conferência proferida nas Jornadas Nacionais de Catequistas, Fátima, 15-XI-2003 - Fonte: “Pastoral Catequética”, nº 1, Jan-Abril 2005 – D. António Marto, ao tempo Bispo de Viseu, hoje Bispo de Leiria-Fátima)
publicado por spedeus às 23:03


publicado por spedeus às 23:01

publicado por spedeus às 18:43

publicado por spedeus às 17:42

05
Mai 08

publicado por spedeus às 23:10

Dizer-se católico e não amar a Igreja e os seus membros é impossível, porque ela é o próprio Corpo de Cristo sendo Ele a sua Cabeça. Aos que assim não entendem, rogo-lhes que não se intitulem como católicos, cristãos talvez; mas acima de tudo peço-lhes com humildade e amor fraterno, que leiam e releiam as Sagradas Escrituras e lá encontrarão resposta para todas as vossas dúvidas, sempre no pressuposto da presença do elemento essencial que é a Fé, sem ela…

(JPR)

«Para que este amor sólido e íntegro more nas nossas almas e aumente dia a dia, é necessário que nos acostumemos a ver na Igreja o próprio Cristo. Porque Cristo é quem vive na Sua Igreja, quem por meio dela ensina, governa e confere a Santidade; Cristo é também quem de vários modos Se manifesta nos Seus membro sociais»

(Mystici Corporis, nº 43 – Pio XII)

«Deposto todo o juízo, devemos ter ânimo aparelhado e pronto para obedecer em tudo à verdadeira esposa de Cristo nosso Senhor, que é a nossa mãe Igreja»

(Exercícios Espirituais, nº 353 – Santo Inácio de Loyola)
publicado por spedeus às 23:02


publicado por spedeus às 09:15

04
Mai 08
Luta interminável, mas temos o exemplo inspirador do sempre incansável Bento XVI a dirigir-nos para Jesus de Nazaré.
Sem nunca nos escondermos na “beatice”, há que segui-Lo com alegria mas sempre em sintonia com o mundo e a sociedade em que vivemos, senão arriscamo-nos a viver não para Ele e para o próximo, mas exclusivamente para nós próprios, ora tal atitude além de egoísta é uma forma de cobardia.

(JPR)

«Se alguém nos pede uma frase simbólica que expresse o nosso propósito, dar-lhe-emos sempre apenas só esta: ‘Instaurar todas as coisas em Cristo’ (…), fazer que todos os homens voltem a submeter-se a Deus»

(E supremi apostolatus – São Pio X)
publicado por spedeus às 23:02

«Com Maria orienta-se o coração para o mistério de Jesus. Coloca-se Cristo no centro da nossa vida, do nosso tempo, das nossas cidades, mediante a contemplação e a meditação dos seus santos mistérios de alegria, de luz, de dor e de glória. Que Maria nos ajude a acolher em nós a graça que brota destes mistérios, para que através de nós, possa irrigar a sociedade a partir das relações quotidianas, e purificá-la de tantas forças negativas abrindo-a á novidade de Deus»

(Excerto : Fonte Radio Vaticana online)
publicado por spedeus às 17:48


«Toda a bondade, toda a formosura, toda a majestade, toda a beleza, toda a graça adornam a nossa Mãe. - Não te enamora ter uma Mãe assim?»

(Forja 491 - S. Josemaría Escrivá de Balaguer)
publicado por spedeus às 15:23


(Fonte: Santuário de Torreciudad)

“Diz: Minha Mãe (tua porque és seu por muitos títulos), que o teu amor me prenda à Cruz do teu Filho; que não me falte a Fé, nem a valentia, nem a audácia, para cumprir a vontade do nosso Jesus.”

(Caminho 497 - S. Josemaría Escrivá de Balaguer)
publicado por spedeus às 09:56

03
Mai 08
«Crer é o acto da inteligência que presta o seu assentimento à verdade divina, por determinação da vontade, movida pela graça de Deus»

(Summa theologiae II-II. q. 2. a. 9. C - São Tomás de Aquino)

Que alegria sabermo-nos seguros da nossa fé, não há lugar a angústias e a dúvidas; que maravilha sabê-Lo junto de nós, é enorme a segurança que nos transmite, saibamos pois, ser dignos das Suas promessas, sem nunca nos esquecermos, que amá-Lo verdadeiramente significa, assumirmos riscos e não nos acomodarmos burguesmente.

Bom Domingo!

(JPR)
publicado por spedeus às 23:07

«Agora vou para aquele que me enviou, e ninguém de vós me pergunta: Para onde vais?Mas porque vos falei assim, a tristeza encheu o vosso coração.Entretanto, digo-vos a verdade: convém a vós que eu vá! Porque, se eu não for, o Paráclito não virá a vós; mas se eu for, vo-lo enviarei».

(S. João 16, 5-11)
publicado por spedeus às 23:06

02
Mai 08
O vaidoso é egocêntrico, o arrogante também o é, mas sobretudo é opressor, pois pela sua atitude visa condicionar terceiros. O Senhor nos livre de o ser e nos faça sempre humildes.

(JPR)

«A arrogância de querer fazer de Deus um objecto e de Lhe aplicar as nossas condições laboratoriais, não é capaz de O encontrar. Por si mesmo, isso pressupõe que nós negamos Deus enquanto Deus, na medida em que nos colocamos acima d’Ele. Também porque, assim, perdemos a dimensão total do amor e da escuta interior, ao ponto de não reconhecermos como verdadeiro nada que não seja experimentável e que possamos manipular».

(A Caminho de Jesus Cristo – Joseph Ratzinger)
publicado por spedeus às 23:25

A nossa profissão de fé começa por Deus, porque Deus é «o Primeiro e o Último» (Is 44, 6), o Princípio e o Fim de tudo. O Credo começa por Deus Pai, porque o Pai é a Primeira Pessoa divina da Santíssima Trindade; o nosso Símbolo começa pela criação do céu e da terra, porque a criação é o princípio e o fundamento de todas as obras de Deus.

(Catecismo da Igreja Católica § 198)
publicado por spedeus às 23:25

01
Mai 08
Não desperdicemos as faculdades que Deus nos deu, cada um dentro das suas possibilidades e conhecimentos, mas com a ajuda do Espírito Santo, encontramo-nos apetrechados para O servir.
Ele certamente nos concedeu algum talento que podemos e devemos doar em prol do próximo, cada um com o seu, está ética e moralmente obrigado a fazê-lo e compartilhá-lo.
Essa partilha e doação, poderá ser em silêncio e em oração, cujo valor, na permanente poluição sonora em que vivemos, não deverá ser esquecido, mas antes enaltecido.

(JPR)

«Hoje em dia, nós no Ocidente andamos ocupados a enterrar o tesouro, seja por cobardia – ante a exigência de, ao pormo-lo a render na contenda da nossa história, podermos vim assim a perdê-lo (tal é a mais pura falta de fé) -, seja também por indolência; e enterramo-lo por, nós próprios, também não querermos ser por ele importunados, uma vez que gostaríamos de levar a nossa vida sem andarmos incomodados com o fardo da responsabilidade que tal tesouro acarreta».

(A Caminho de Jesus Cristo – Joseph Ratzinger)
publicado por spedeus às 23:05

Na. Sra. Imperatriz da China

- Queres amar a Virgem? – Pois então conversa com Ela! – Como? – Rezando bem o Rosário de Nossa Senhora.
Mas, no Rosário… dizemos sempre o mesmo! – Sempre o mesmo? E não dizem sempre a mesma coisa os que se amam?...

(Santo Rosário - S. Josemaría Escrivá de Balaguer)



publicado por spedeus às 18:56

«A expressão quotidiana deste amor na vida da Família de Nazaré é o trabalho. O texto evangélico especifica o tipo de trabalho, mediante o qual José procurava garantir a sustentação da Família: o trabalho de carpinteiro. Esta simples palavra envolve toda a extensão da vida de José. Para Jesus este período abrange os anos da vida oculta, de que fala o Evangelista, a seguir ao episódio que sucedeu no templo: «Depois, desceu com eles para Nazaré e era-lhes submisso» (Lc 2, 51). Esta ‘submissão’, ou seja, a obediência de Jesus na casa de Nazaré é entendida também como participação no trabalho de José. Aquele que era designado como o “filho do carpinteiro”, tinha aprendido o ofício de seu “pai” putativo.».

(Exortação Apostólica ‘Redemptoris Custos’ n. 22 – João Paulo II)
publicado por spedeus às 10:27

«Dá "toda" a glória a Deus. - "Espreme" com a tua vontade, ajudado pela graça, cada uma das tuas acções, para que nelas não fique nada que cheire a humana soberba, a complacência do teu "eu".» São Josemaría Escrivá – Caminho, 784 O ‘Spe Deus’ tem evidentemente um autor que normalmente assina JPR e que caso se justifique poderá assinar com o seu nome próprio, mas como o verdadeiramente importante é Deus na sua forma Trinitária, a Virgem Santíssima, a Igreja Católica e os seus ensinamentos, optou-se pela discrição.
NUNC COEPI - Blogue sugerido para questões de formação, doutrina, reflexões e comportamento humano
http://amexiaalves-nunccoepi.blogspot.com/
subscrever feeds
links
pesquisar neste blog
 
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

3 seguidores

blogs SAPO