«Creio para compreender e compreendo para crer melhor» (Santo Agostinho, Sermão 43, 7, 9) (Santo Agostinho, Sermão 43, 7, 9)

28
Mai 10

Vídeo em espanhol

“Pastoral da mobilidade humana hoje em dia, no contexto da co-responsabilidade dos Estados e dos Organismos Internacionais” foi o tema da sessão plenária do Conselho Pontifício da Pastoral para os Migrantes e Itinerantes, que decorreu nos últimos três dias no Vaticano. Recebendo nesta sexta-feira os respectivos participantes, o Santo Padre congratulou-se com “o esforço de construir um sistema de normas compartilhadas que contemplem os direitos e os deveres do estrangeiro, como também os da comunidade de acolhimento, tendo em conta, antes de mais, da dignidade da pessoa humana, criada por Deus à sua imagem e semelhança”.

Bento XVI aludiu a um conjunto de problemáticas ligadas ao mundo da mobilidade humana, como (citamos) “a entrada ou o afastamento forçado dos estrangeiros, a fruibilidade dos bens da natureza, da cultura e da arte, da ciência e da técnica, que a todos deve ser acessível.

“Os ordenamentos a nível nacional e internacional que promovem o bem comum e o respeito da pessoa encorajam a esperança e os esforços pela consecução de uma ordem social mundial baseada sobre a paz, a fraternidade e a cooperação de todos, não obstante a fase crítica que as instituições internacionais estão a atravessar, empenhadas em resolver as questões cruciais da segurança e do desenvolvimento, em benefício de todos”.

Se é verdade que se assiste ao reemergir de instâncias particularistas em algumas áreas do mundo” – reconheceu Bento XVI, por outro lado não se extinguiu ainda a aspiração, de muitos, de abater os muros que dividem e estabelecer um amplo acordo, mediante disposições legislativas e práticas administrativas que favoreçam integração, mútuo intercâmbio e enriquecimento recíproco.

Quase a concluir, o Santo Padre sublinhou a necessidade de manter sempre a abertura à vida e de assegurar os direitos da família. “É evidente que se devem reafirmar, nos diversos contextos, a abertura à vida e os direitos da família, pois numa sociedade em vias de globalização, o bem comum e o empenho nesse sentido não podem deixar de assumir as dimensões de toda a família humana, isto é, da comunidade dos povos e das nações. O futuro das nossas sociedades apoia-se no encontro entre os povos, no diálogo entre as culturas no respeito das identidade e das legítimas diferenças. Neste contexto, a família mantém o seu papel fundamental”.

(Fonte: site Radio Vaticana)
publicado por spedeus às 13:54

«Dá "toda" a glória a Deus. - "Espreme" com a tua vontade, ajudado pela graça, cada uma das tuas acções, para que nelas não fique nada que cheire a humana soberba, a complacência do teu "eu".» São Josemaría Escrivá – Caminho, 784 O ‘Spe Deus’ tem evidentemente um autor que normalmente assina JPR e que caso se justifique poderá assinar com o seu nome próprio, mas como o verdadeiramente importante é Deus na sua forma Trinitária, a Virgem Santíssima, a Igreja Católica e os seus ensinamentos, optou-se pela discrição.
NUNC COEPI - Blogue sugerido para questões de formação, doutrina, reflexões e comportamento humano
http://amexiaalves-nunccoepi.blogspot.com/
subscrever feeds
links
pesquisar neste blog
 
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

3 seguidores

blogs SAPO